Se me matam, levantarei os braços do túmulo e serei mais forte
19 novembro 2019 - belohorizonte

Se me matam, levantarei os braços do túmulo e serei mais forte.

O assassinato de três irmãs deu origem ao dia internacional pela eliminação da violência
contra as mulheres.

Por Pollyanna Abreu Psicóloga Clínica e Fundadora da Não Era Amor

Com essa frase, a ativista Minerva Mirabal, da República Dominicana, respondeu àqueles que a advertiram de que o regime do presidente Rafael Leónidas Trujillo (1930-1961) iria matá-la, no início da década de 1960.

Pouco depois, no dia 25 de novembro de 1960, as irmãs Mirabal, conhecidas como Las Mariposas (borboletas), eram assassinadas pela polícia secreta da República Dominicana, a mando de Rafael Trujillo, o presidente do regime.
As mulheres foram enforcadas e depois espancadas para que, ao veículo ser jogado no precipício, se pensasse que haviam morrido em um acidente de carro.

Em 25 de novembro de 1981, foi realizado o primeiro Encontro Feminista da América Latina e do Caribe, em Bogotá (Colômbia). No evento, as mulheres denunciaram os abusos de gênero que sofriam no ambiente doméstico, assim como a violação e o assédio sexual por parte do Estado, como a tortura e a prisão por motivos políticos. Desde 1981 a data da morte das Irmãs Mirabal se tornou, em toda a América Latina, um dia para marcar a luta das mulheres contra a violência. Em 1999, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) transformou o dia 25 de novembro em uma data de homenagem internacional, o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher.

Nesse dia, ao redor do mundo, incitam-se reflexões sobre a situação de violência em que vive considerável parte das mulheres. Esse movimento acontece através de ONGs , de profissionais que apoiam diretamente essas vítimas, dos acadêmicos que estudam a temática e, inclusive, das próprias vítimas ou de pessoas que se sensibilizam e querem contribuir com essa sinergia de conscientização global.

Um dado importante levantado pela ONU refere que as lesões sofridas dentro da própria casa é a principal forma de violência que atinge mulheres entre 15 e 44 ao redor do mundo. A Não Era amor, em parceria com o Impact Hub Belo Horizonte, gostaria de ajudar a fortalecer a data de 25 de novembro como um dia de proliferar essa conscientização, podendo contribuir para o avanço dessa campanha que é indispensável e precisa contar com a participação de cada vez mais pessoas ao redor do mundo, na forma que for possível.

Se as irmãs Mirabal ainda estivessem vivas, teriam muitos motivos para continuar lutando. Elas morreram pela liberdade. E a Não Era Amor acredita que onde há informação, há liberdade; onde há silêncio há violência.

Para marcar esta data tão importante, essa parceria apresenta a palestra “Relacionamentos abusivos: da morte do corpo emocional à morte do corpo físico.” Uma palestra informativa e reflexiva, para quem está ou saiu de relacionamentos abusivos, para profissionais que trabalham com a temática, para quem tem interesse na discussão e para quem quer ajudar uma pessoa querida.

Saiba mais e faça sua inscrição.

Se você quiser conhecer mais a história marcante das irmãs Mirabal:

Compartilhar: