O alimento que mantém a sua saúde em dia no trabalho
12 janeiro 2021 - Clarissa Cruz

Estar com a saúde em dia é, sem dúvida, uma das melhores sensações que podemos ter. Para além do clichê que salta dessa frase, encontramos o mínimo necessário para o desenvolvimento do nosso potencial. 

À medida que envelhecemos, esse assunto vai ficando ainda mais especial. Quando menos esperamos, soltamos aquela famosa frase “quem tem saúde, tem tudo”. Mas, definitivamente, não é preciso aguardar os anos passarem. Afinal, os hábitos criados hoje ser sementres para uma pessoa idosa cheia de vitalidade.

Parte importante desse acontecimento é nossa, porque depende das nossas escolhas. Então, vamos falar da alimentação nossa de cada dia?

Ultraprocessados são comida de verdade?

Uma das primeiras coisas que muitos abrem mão — em função da praticidade, da tentação gustativa dos ultraprocessados ou por não gostar de cozinhar — é justamente da boa alimentação. E é aí que o bicho pega. Afinal, de acordo com Hipócrates (460 a 377 a.c.), o melhor mesmo é “que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja seu remédio.” Simples assim!

Se o alimento é o melhor remédio, e se a comida é uma das formas de nos alimentarmos, então precisamos saber o que é comida de verdade. Se não fosse esta sociedade indiscriminadamente consumista, baseada em valores nada naturais e, portanto, fora do ritmo autêntico de qualquer ser humano, comer bem seria mesmo simples.

A boa notícia é que podemos transgredir as regras, muitas vezes dissimuladas, impostas por esta mesma sociedade. Vamos começar? Assim, com transparência, cada um poderá tirar as suas próprias conclusões e, conscientemente, fazer suas escolhas pessoais.

Em quais categorias podemos separar o que nos é ofertado?

In natura

É aquele alimento realmente natural, que veio da terra ou dos animais. Ou seja, é quando ainda não foi cozido, assado, congelado, fermentado ou temperado.

Exemplos: frutas colhidas no pé, folhas, legumes, tubérculos, leite tirado da vaca e ovos de galinhas, entre outros.

Minimamente processados

São esses mesmos alimentos mencionados acima, porém, com alguma pequena intervenção, seja moer, congelar, cortar, envasar.

Exemplos: polpa de fruta congelada, salada de folhas ou de frutas, café moído, leite engarrafado, omelete, bife grelhado, pernil assado, arroz cozido, feijão temperado, batata frita, entre outros.

Processados

Esses ainda têm sua origem na natureza, entretanto, já passaram por uma intervenção ainda maior do que os minimamente processados. E é aqui que, se por um lado pode ter facilitado o acesso de algumas pessoas aos alimentos (o que é controverso), por outro, começa a proliferação de inúmeras doenças contemporâneas.

Exemplos: atum em lata, pão de forma com validade longa, conservas, requeijão, carnes defumadas. Esses são os alimentos praticamente sem vitalidade, com adição de conservantes — para que durem mais; com aromatizantes — para prolongar a presença do aroma. Enfim, aqui começa a fábrica de horrores.

Ultraprocessados

Esses, definitivamente, não podem ter a honra de serem chamados de alimentos, mas apenas produtos. Eles não são encontrados na natureza, são fabricados nos laboratórios das grandes indústrias alimentícias e, é claro, não são bons para sua saúde.

Exemplos: biscoitos recheados, lasanhas não caseiras (que por mais que utilizem trigo, frango, espinafre, contêm tanta substância química que os itens que poderiam ser considerados naturais já não têm vida!), chocolates quando não são bean to bar, margarina, macarrão instantâneo, refrigerante, suco de caixinha, misturas para bolos, balas, chicletes, a maior parte das barras de cereais, iogurtes, molhos prontos, temperos artificiais em pó etc.

Para exemplificar melhor o que representa ingerir um ultraprocessado ao ser comparado com um minimamente processado, segue a lista dos ingredientes de uma margarina e de uma manteiga:

Saúde, Alimentos ultraprocessad

Percebe onde se encontra a simplicidade mencionada? Imagina seu organismo sendo bombardeado, diariamente, em todas as refeições por esses palavrões presentes na composição química da margarina? Se você está indo para a guerra, talvez um pote de ultraprocessado seja muito útil. Tirando isso, por que mesmo trocar um pote de manteiga genuína por um tanto de informação que o seu organismo não processa?

Este assunto vai longe… O fato é que não se pode deixar para depois a decisão de ter os devidos cuidados com a alimentação — seu mais fiel remédio do dia a dia. No próximo post, darei algumas dicas de como se preparar para não cair nas armadilhas do fast food. E, assim, cuidar da sua saúde no trabalho e em qualquer lugar.

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe com a sua rede!
Clarissa Cruz

Clarissa Cruz

Clarissa é promotora de um estilo de vida integrado à natureza e cofundadora da Zera Zero. Formada em Comunicação Social com especialização em Publicidade e Propaganda, compreendeu muito cedo que a grande indústria gera excessos em todos os níveis e que, portanto, precisa de um freio. Acredita que o foco da vida não pode estar no verbo “consumir” e, por isso, elaborou hábitos simples, de uma vida centrada no autoconhecimento e próxima à Mãe Terra. Gosta de escrever, abraçar árvores, andar descalça e de balanço, além de olhar nos olhos. Ela quer ser uma samurai, por isso pratica Iaidô, que é a arte de desembainhar espadas.