Quatro coisas que eu aprendi no Clube do Livro: Comece Algo Que Faça a Diferença.
31 May 2019 - belohorizonte

Na última semana, nós tivemos a primeira experiência do Clube do Livro reformulado aqui no Impact Hub. Anteriormente, era um evento apenas para a comunidade, mas a gente decidiu abrir para o público externo porque, afinal, quantas novas vidas poderíamos impactar dessa forma?

Junto desse novo formato, trouxemos uma parceria com a Editora Voo, uma empresa do Sistema B que tem como missão inspirar, empoderar e ajudar pessoas a melhor o mundo a sua volta. Eles editam livros a partir dos quais criam projetos, apoiam causas em que acreditam e contam histórias reais que mexem comigo e com você. A cada livro vendido, a editora oferece uma contrapartida solidária a alguém que precise. Assim, hoje destina 3% do faturamento da empresa ao conjunto de ações deste projeto.

A primeira edição teve como base o livro Comece Algo Que Faça a Diferença, de Blake Mycoskie. A obra conta a história por trás do movimento One for One, da TOMS, que já doou mais de 86 milhões de pares de sapatos para crianças carentes. Foi uma experiência maravilhosa, que rendeu uma discussão super importante sobre o que é mais importante: ganhar dinheiro, trabalhar com o que ama ou se dedicar a causas que lhe inspiram?

Por isso, separei aqui alguns dos aprendizados que eu levo do evento:

1 – É possível trabalhar com o que ama, mudar o mundo e ganhar dinheiro.

Blake Mycoskie é o empreendedor por trás da TOMS, e também autor do livro Comece Algo que Faça a Diferença, que nos deixou a principal lição desse encontro. A TOMS é uma empresa de calçados com o propósito inovador do One for One: a cada par de sapatos vendido, outro é doado para crianças carentes. Desde sua fundação em 2006, o movimento já foi responsável pela doação de 86 milhões de calçados.

Blake Mycoskie é a prova viva de que é possível trabalhar com o que ama, mudar o mundo e ganhar dinheiro, tudo ao mesmo tempo!

2 – Propósito é sim importante para uma empresa!

Nesta edição do Clube do Livro, trabalhamos com um dos melhores exemplos de uma tendência crescente no mercado: o storytelling, a ideia de criar um propósito por trás da empresa. Trazendo um storytelling ainda mais especial, a TOMS envolve seu consumidor na própria história, quando ele se transforma de espectador a ator.
Portanto, além de causar um impacto, a empresa fomenta tal ânsia também em seu consumidor, e os dois, juntos, agem em prol de um bem maior. E essa é o maior diferencial e atrativo do produto!

3 – Não vai ser fácil – mas também não será impossível!

Em Comece Algo Que Faça a Diferença, nós pudemos conhecer o outro lado da história de Blake Mycoskie, o empreendedor de sucesso por trás da TOMS e seu movimento inovador de One for One. E tem muito a ver com você que tenta empreender hoje!

Sabemos que empreender no Brasil – ou em qualquer lugar do mundo – não é fácil, mas ver casos de sucesso mundial como da TOMS sempre parece bem menos complicado, né? Pois não é bem assim. Mycoskie embarcou em uma jornada de empreendedorismo de impacto baseado em calçados sem ter experiência em nenhuma das áreas. Sua história passa por entrevistas em locais duvidosos e vai até esconder os produtos do proprietário do imóvel!

Eu desafio você, empreendedor, a não se identificar com os desafios enfrentados por Blake. Hoje, ele controla um dos maiores sucessos da rede de empreendedorismo de impacto do mundo!

4 – Sucesso não tem a ver com dinheiro, e sim com as vidas que você impacta

O empreendedorismo de impacto surge em uma tentativa de um capitalismo mais inclusivo, trabalhando em prol de questões sociais e ambientais. Neste cenário, os negócios de impacto podem ser uma solução para repensar e influenciar o modo de fazer negócio.
A TOMS já doou 86 milhões de calçados a crianças carentes, devolveu a visão a mais de 600 mil pessoas e promoveu água potável a outras 600 mil. Hoje, a empresa é vista como um dos maiores casos de sucesso de empreendedorismo de impacto mundial.
Aqui no Brasil, a Euzaria trabalha com o mesmo princípio da TOMS, e cada produto vendido por eles é revertido em um dia de aula para um jovem no Instituto Aliança, porque acreditam que a raiz dos problemas sociais que enfrentamos hoje está na educação.

Curtiu? Conversaremos sobre tudo isso – e mais! – na próxima edição do Clube do Livro, com Reinventando as Organizações, de Frederic Laloux. E aí, vamos juntos?